Coronavírus no Brasil e no Mundo : mais de 115 mil óbitos no país, horário normal nos parques de São Paulo e reinfecção

Coronavírus no Brasil
Coronavírus no Brasil

Coronavírus no Brasil e no Mundo : mais de 115 mil óbitos no país, horário normal nos parques de São Paulo e reinfecção

O Brasil registra 565 mortes causadas pelo coronavírus em 24 horas. De domingo (23.08) para segunda-feira (24.08), foram contabilizados 17.078 novos casos de Covid-19.

Desde o início da pandemia, o País registra 3.622.861 casos e 115.309 óbitos pela doença. Ao todo, 2.778.709 pacientes estão recuperados.

O estado de São Paulo, epicentro  de mortesxpor Covid-19 no Brasil, registra queda no índice de mortes por coronavírus, pela segunda semana seguida, de acordo com o governo estadual. O governador João Doria anunciou que a redução foi de 9% em comparação com a semana anterior. Na semana de 9 a 15 de agosto, o estado registrou um total de 1.764 mortes por covid-19.
Já entre os dias 16 e 22 de agosto, o número caiu para 1.612. Ainda na entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o secretário de saúde Jean Gorenstein destacou que a taxa de ocupação de UTI’s ficou abaixo de 60% por três semanas.O índice na segunda-feira (24.08) é de 55,6% no estado e de 53,7% na Grande São Paulo. Ainda segundo a pasta, houve queda de 7% nas internações em UTI no estado, 9% na capital e 3% no interior e litoral.


Os parques municipais de São Paulo Que  reabriram na quarentena, voltam a funcionar nos horários habituais, de segunda a sexta-feira. O Ibirapuera, por exemplo, funciona das 5h até meia-noite. O Parque do Carmo, na zona leste, abre das 5h30 às 20h. Já os parques Aclimação e Independência, na zona sul, abrem das 5h às 20h. Todos os mais de 50 parques já reabertos na capital continuam fechados aos fins de semana e devem manter as regras como uso obrigatório de máscaras e distanciamento mínimo de 2m.

Cientistas em Hong Kong anunciam a confirmação do primeiro caso no mundo de reinfecção pelo coronavírus. A pesquisa com o resultado foi aceita para publicação no “Clinical Infectious Diseases”, da editora da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Segundo comunicado divulgado na segunda (24.08), um paciente aparentemente saudável e jovem teve um segundo caso de infecção pela Covid-19 diagnosticado quatro meses e meio depois do primeiro episódio. Os pesquisadores testaram o código genético do vírus e descobriram que, na segunda infecção, ele pertencia a uma linhagem diferente da primeira. Ao ser contaminado pela primeira vez, o paciente, um homem de 33 anos, teve apenas sintomas leves; na segunda, nenhum sintoma.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda estudos mais amplos para confirmar a possibilidade de reinfecção por coronavírus.

Cientistas de Hong Kong apresentaram o caso de um homem saudável, de 33 anos de idade, que teria sido infectado novamente, quatro meses e meio após contrair a Covid-19.

Segundo eles, o sequenciamento do genoma mostra que as duas cepas do vírus são “claramente diferentes”, se tornando o primeiro caso comprovado de reinfecção no mundo. A OMS alerta que é importante não tirar conclusões precipitadas com base em um paciente.

Mesmo assim, a recomendação continua sendo para que todos nós, inclusive aqueles que já se infectaram, tomem as precauções contra a doença – como uso de máscaras, distanciamento e higienização.