Coronavírus no Brasil : boletim do Ministério da Saúde aponta 984 óbitos registrados em 24h

Coronavírus no Brasil : boletim do Ministério da Saúde aponta 984 óbitos registrados em 24h

O Brasil atingiu 118.649 mortes em função da pandemia do novo coronavírus, conforme a atualização diária do Ministério da Saúde divulgada na noite de quinta-feira (27.08). O resultado marca um aumento de 0,8% sobre  quarta-feira, quando foram contabilizados 117.665 óbitos desde o início da pandemia. Nas 24 horas, entre quarta e quinta, foram registrados 984 novos óbitos. É a primeira quinta-feira desde julho que o registro de mortes pelo novo coronavírus fica abaixo de mil em um período de 24h.

Os casos acumulados chegaram a 3.761.391 Entre ontem e hoje as secretarias de saúde enviaram ao Ministério da Saúde informações sobre 44.235 novos diagnósticos de infecção pelo coronavírus. O total marca acréscimo de 1,2% sobre ontem, quando o painel do Ministério da Saúde trazia 3.717.156 casos acumulados.

Ainda de acordo com a atualização, 695.492 pessoas estão em acompanhamento e outras 2.947.250 já se recuperaram.

Os estados com o maior número de mortes foram São Paulo (29.415), Rio de Janeiro (15.859), Ceará (8.265), Pernambuco (7.480) e Pará (6.102). As Unidades da Federação com menos óbitos até o momento são Roraima (586), Acre (607), Tocantins (635), Amapá (652) e Mato Grosso do Sul (800).

Uma análise da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) sobre o período de 9 a 22 de agosto mostra que a pandemia de covid-19 se manteve estável em um número alto de novos óbitos e infectados. O Boletim Observatório Fiocruz Covid-19 mostra que o país continua a apresentar uma média de mil mortes e 40 mil novos diagnósticos por dia.

Espanha enfrenta o ressurgimento da #covid-19. O país notificou, na quarta-feira, 3.594 casos da doença

O governo da Alemanha decide ampliar as restrições no País por causa do avanço do coronavírus. Segundo as autoridades, quem não usar máscara será multado em até € 50, o que representa R$ 330. Além disso, encontros só poderão reunir ao máximo 25 pessoas. Embora os dados sejam menores do que no início da pandemia, a premiê Angela Merkel afirma que todos precisam estar atentos com a tendência de alta na taxa de contágio.