Caso Wilson Witzel : STJ declarou o afastamento imediato do governador

Wilson Witzel - Governador do Rio de Janeiro
Wilson Witzel – Governador do Rio de Janeiro – Foto : Secom-RJ

STJ afasta Witzel por suspeita de corrupção; governador diz estar ‘indignado’

STJ declarou o afastamento imediato de Wilson Witzel

O Superior Tribunal de Justiça determinou que o governador do Rio de Janeiro se afaste imediatamente do cargo. O vice Cláudio Castro assume. Wilson Witzel é investigado por suspeita de fraudes em contratos na área da saúde. Em pronunciamento, ele afirmou que decisão se trata de ‘circo sendo armado’.
:: STJ decretou afastamento
:: PGR chegou a pedir prisão de Witzel
:: Witzel chamou decisão de ‘circo’
:: Bolsonaro falou sobre o caso
:: O vice Cláudio Castro assume o governo
:: Pastor Everaldo foi preso
:: Primeira-dama também foi alvo

O STJ declarou o afastamento imediato de Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro. A decisão faz parte da investigação sobre desvios nos contratos emergenciais para a prevenção e tratamento da Covid-19. Witzel foi surpreendido às 6h20 por carros da PF no Palácio das Laranjeiras.

Witzel foi afastado porque, segundo a PGR, usou escritório de advocacia da mulher para receber R$ 500 mil em propinas na pandemia. E-mail enviado por Witzel orientava fornecedores a fechar contratos – simulados – com o escritório de Helena.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi afastado do cargo na sexta-feira (28.08) em decisão monocrática do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em meio a uma investigação sobre irregularidades na área da Saúde. O órgão também mandou prender o presidente do PSC, Pastor Everaldo. 

A Polícia Federal foi acionada nesta manhã para cumprir as determinações do STJ na Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga corrupção em contratos públicos do Executivo fluminense. Entre os alvos, estão o governador do RJ, o vice-governador Cláudio Castro (PSC) e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT).

Witzel não será preso. Com o afastamento dele – com validade inicial de 180 dias –, quem assume o governo do estado é o vice Cláudio Castro. Aos 41 anos, ele é advogado, católico, autor de dois álbuns de música católica e o mais jovem vice-governador do RJ desde a redemocratização. Existe a possibilidade, no entanto, de que o vice nem assuma, devido à situação complicada dele. O mesmo para André Ceciliano, o terceiro da fila. Nesse caso, quem poderá assumir é o presidente do TJ-RJ, como informa a analista de política Thais Arbex.

Recordando : Operação da Polícia Federal : Wilson Witzel

Wilson Witzel: “Senador Flávio Bolsonaro, o senhor, que some com o Queiroz e foge da Justiça, faça como eu: abra seus sigilos bancário e telefônico e deixe que investiguem sua rachadinha e da sua família. Meu sigilo está à disposição da Justiça. Aguardo o seu. Quem não deve não teme”.

O governador Wilson Witzel deve prestar depoimento nos próximos dias. O estado do Rio de Janeiro empenhou cerca de R$ 1 bilhão em contratos emergenciais sem licitação para combater o coronavírus.

O ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), solicita ao Ministério Público Federal a apuração sobre o suposto vazamento da Operação Placebo.

Segundo o ministro, caso seja confirmado o vazamento, “seria necessário responsabilizar penalmente o autor da conduta ilícita, como forma de não prejudicar a integridade das instituições”.

O governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel foi alvo de cinco pedidos de impeachment após a operação da Polícia Federal contra fraudes na saúde.