Sérgio Moro deixa o cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública

Sergio Moro
Sergio Moro

Sérgio Moro deixa o cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública

Mais um Ministro sai do governo sob aplausos. Discurso com acusações. Governo Federal se dilui. STF e Congresso sob pressão para sustentar ou não Jair Bolsonaro.

Em anúncio de demissão, Moro desmente que exoneração do diretor da Polícia Federal foi a pedido, denuncia ingerência e admite Lula e Dilma garantiram autonomia da PF.

Durante seu pronunciamento, Moro citou nominalmente a ex-presidenta Dilma Rousseff como exemplo de não interferência nas investigações conduzidas pela PF na Lava Jato.

O Ministro demissionário de Justiça e Segurança Pública acusou o presidente da República de desvio de finalidade na troca do diretor-geral da Polícia Federal, com objetivo de interferir politicamente em investigações em curso, autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal.

Bolsa despenca mais de 6% após pedido de demissão de Moro

Abre ASPAS para Sérgio Moro ex-ministro da Justiça e Segurança Pública



“Entendi que, a partir da exoneração do Valeixo, o presidente me queria fora do cargo”

“Disse ao presidente que seria uma interferência política. ele disse: seria mesmo”

“Presidente queria alguém que pudesse ser do contato pessoal dele”

“A autonomia da Polícia Federal é um valor fundamental que precisamos preservar”

“Busquei uma solução alternativa, mas entendi que não podia deixar de lado esse meu compromisso com o estado de direito”