Caixa libera crédito ‘emergencial’ para micro e pequenas empresas

Caixa libera crédito 'emergencial' para micro e pequenas empresas
Caixa libera crédito ‘emergencial’ para micro e pequenas empresas. Será?

Caixa libera crédito ‘emergencial’ para micro e pequenas empresas

A Caixa comunica que vai liberar o crédito ‘emergencial’ para micro e pequenas empresas do País através do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O dinheiro destinado à reduzir os impactos da pandemia do cononavírus na economia chega aos empresários quase 90 dias após o anuncio da primeira morte por covid-19 no país. As micro e pequenas empresas contempladas no Pronampe são aquelas com faturamento de até R$ 4,8 milhões em 2019.

A previsão inicial é de liberar R$ 3 bilhões nessa linha de crédito. O governo federal dará garantia sobre 85% do valor a ser contratado em cada banco participante. O valor parece mais ‘esmola’ do que investimento sério na manutenção de empresas e empregos. “Esse é o volume da Caixa, sujeito a discussões. Podemos ampliar esse limite a partir da tomada pelas empresas. Se houver demanda muito forte, esses R$ 3 bilhões podem ser ampliados”, acrescentou Guimarães.

Contratação do crédito ‘emergencial’ para micro e pequenas empresas

:: A partir do dia 16 de junho, poderão contratar o empréstimo as micro e pequenas empresas inscritas no Simples Nacional;
:: A partir do dia 23 de junho, serão iniciados os empréstimos para micro e pequenas empresas que não estão inscritas no Simples Nacional;
:: A partir do dia 30 de junho, começam a ser contratadas as operações para os microempreendedores individuais.
Segundo Pedro Guimarães, 117 mil empresas já fizeram cadastro na instituição financeira para análise do crédito. “Estamos analisando outros caminhos que façam com que esse programa possa ser acelerado ainda mais”, acrescentou.

Para buscar o crédito na Caixa e nos outros bancos, as micro e pequenas empresas devem receber um comunicado da Receita Federal, confirmando que são elegíveis à linha emergencial do Pronampe. No crédito a taxa de juros cobrada é a Selic (atualmente em 3% ao ano), mais 1,25% ao ano. As operações de crédito contam com carência de oito meses, após os quais começarão a pagar os valores em até 28 meses.